Marquês de Pombal, baixa de Lisboa e o Tejo

Imagem de alta definição, a partir do Parque Eduardo VII mostrando o Castelo,  Sé de Lisboa, Elevador de Santa Justa, Rio Tejo e Arrábida

Imagem impressa a 100dpi ficaria com 7,32×2,68 metros.

Podem pedir informações sobre impressão ou outras usando o  formulário de contacto.

Cliquem na imagem para ver toda a resolução. Cuidado com as transferências de dados sobre redes móveis.

Marquês de Pombal e o Rio

Como gostar de fotos no Facebook

Muitos amigos nossos partilham publicações com fotos de outros (ou dos próprios).

Numa partilha, normalmente, há uma diferença entre “gostar da partilha” e “gostar da foto”. Normalmente gostamos da “partilha” ao colocar um like, directo, no nosso “mural”. Além disso, o que devíamos fazer, era, já que gostamos da partilha é porque a foto também nos agradou. Façam , por isso, um click na foto (para a ver em grande) e depois um like na foto. É um gesto agradável para o autor da foto.

Podem reparar neste comportamento fazendo like na publicação e, depois, abrindo a foto, verem que não está lá o vosso like.

partilha de publicação no facebook

Janela de fotografia do facebook

(exemplo de publicação de Ferreira Pinto, sigam o trabalho dele neste link https://www.facebook.com/Ferreira.Pinto.Photography)

 

Abertura

A abertura (F, A, Av) controla a profundidade de campo e a nitidez da fotografia junto ao ponto de focagem.

O controle da abertura ajuda a ter uma foto focada por completo ou a ter apenas uma zona restrita ao ponto de focagem. À quantidade imagem focada dá-se o nome de “profundidade de campo” (referida por DOF, depth of field) sendo a profundidade de campo menor quanto menor o F (maior a abertura do diafragma).

Abertura

A Abertura é medida em F’s e, fisicamente, refere o diâmetro das laminas que deixa entrar a luz para o sensor. Valores possíveis para F são F3.5 , F1.2 (grande abertura, lâminas muito afastadas), F22 (pequena abertura, lâminas muito juntas) . O F também pode subir ou descer em “stop’s”… subir o F 1 stop faria passar, por exemplo de F11 para F16.

De modo a assegurar uma correcta exposição da foto (nem muito clara -> sobre-exposta ; nem muito escura -> sub-exposta) as alterações na abertura têm que ser compensadas com variações no ISO e/ou na velocidade. Essas variações irão influenciar o “grão” da foto (ISO) ou o congelar dos elementos (S, Tv) conforme pode ser viste no “triângulo de exposição

(nota: a foto da esquerda encontra-se um pouco tremida em consequência da grande distancia focal e baixo tempo de exposição… conseguem imaginar uma solução fácil para que este problema não existisse?)

Tempo de Exposição

O tempo de exposição (ShutterSpeed, S, Tv) controla o tempo que o rolo/sensor fica exposto numa fotografia.

O controle do tempo de exposição ajuda a “congelar” movimentos ou a arrastá-los consoante o desejado. Pode ser agradável ver todas as gotas de uma cascata ou, através de uma longa exposição, provocar o efeito “véu de noiva” assim como pode parar as hélices de um avião ou deixas a sensação de que se estão a mover.

ShutterSpeed

O tempo de exposição é medido em segundos (ou fracções) e pode ir desde horas até fracções de milésimos de segundo ou, relativo a outros em “stop’s”. 1/50” (1/50 de segundo -> 2 centésimos de segundo) – 1 stop = 1/100 de segundo.

De modo a assegurar uma correcta exposição da foto (nem muito clara -> sobre-exposta ; nem muito escura -> sub-exposta) as alterações na velocidade têm que ser compensadas com variações no ISO e/ou na abertura. Essas variações irão influenciar o “grão” da foto (ISO) ou a profundidade de campo (abertura, F) conforme pode ser visto no artigo “triângulo de exposição

Triângulo de Exposição

O triângulo de exposição mostra, de forma gráfica, o impacto e a compensação que deve de ser feita em cada um dos parâmetros de modo a assegurar a exposição desejada numa fotografia. Se deslocar um dos lados no sentido “menos luz” um dos outros lados terá de se deslocar no sentido “mais luz”.

Notem que eu disse “exposição desejada” e não “exposição correcta” já que “exposição correcta” pode querer dizer que a imagem não tem zonas escuras sem detalhe nem zonas queimadas e, em alguns casos, pode ser mesmo essa a intenção.

triangulo-de-exposicao

Ao ler o triângulo consegue-se ver que, por exemplo, se aumentar o F (reduzir a quantidade de luz que passa pela objectiva e aumentar o DOF) tem que se aumentar a exposição e/ou aumentar o ISO (aumentando o grão na fotografia. Se a ideia for congelar o movimento diminuindo o tempo de exposição a compensação seria diminuir o F (aumentar a quantidade de luz que passa pela objectiva e diminuir o DOF) e/ou aumentar o ISO (aumentando o grão na fotografia).

 Podem observar os impactos da variação de qualquer dos parâmetros na exposição pode ser observado na escala de “compensação de exposição” que vão, tipicamente, de -2 a +2 stop’s.

Exposure Compensation

Colocando a câmara em modo M efectuem uma medição (pressionar o botão de foto até meio) ajustem a velocidade até o traço ficar no meio da escala (0). Aumentem o ISO para o dobro, meçam, vejam o que têm de alterar para voltar a colocar a medição no (0).